Pesquisar este blog

Carregando...

quinta-feira, 14 de março de 2013

COMPRAS NA CIDADE DO PANAMÁ


Aproveitei que jantei no Hard Rock Café e este fica no shopping Multicentro para dar uma volta no centro de compras. É feio, com uma praça de alimentação mal iluminada. Queria comprar duas coisas: um tênis colorido e um chapéu panamá. Como hóspede do Hard Rock Hotel Panamá Megalopolis, eu tinha desconto de 10% na maioria das lojas do lugar. No dia anterior, quando o país estava vivendo um apagão energético, dei uma olhada nas vitrines de algumas lojas, quando identifiquei o tênis do meu gosto. Fui direto para a loja de artigos esportivos Sportline. Já passavam das nove horas da noite e o movimento era pequeno. Havia um grupo de vendedores que me viu entrar, ir na direção da prateleira de tênis, pegar alguns modelos, olhar para eles e nenhum se aproximou, continuando uma animada conversa. Foi preciso eu chamar uma delas para me atender. Parecia com preguiça de trabalhar. Pedi para experimentar um modelo da Mizuno, com cores cítricas, onde o amarelo domina, e muito leve. Vendo o desânimo da vendedora, já pedi para trazer três números diferentes. Ela demorou um pouco. Calcei o primeiro com dificuldade, pois estava apertado. Ela viu meu esforço para fazer o tênis entrar no pé, mas nada fez. Eu tive que pedir uma calçadeira. Neste momento parece que a ficha dela caiu. Trouxe-me a tal calçadeira, o que me facilitou bastante. Gostei do tênis no pé, bem chamativo. Achei ótimo o fim da ditadura dos tênis em cor branca ou preta. As vitrines das lojas esportivas que vi no Panamá estão recheadas de tênis muito coloridos. No caixa, mostrei o cartão do hotel para ganhar o desconto de 10%. Comprei o tênis e levei de brinde a calçadeira. Em seguida, fui até a loja Panamá Hats, no mesmo piso em que eu estava. Na verdade, é uma loja de souvenir. Ente os produtos, está um balcão somente com o famoso chapéu. Pedi o melhor que tivesse. A vendedora me mostrou um exemplar que custava U$ 60. Achei mal acabado. Perguntei se era o mais caro e ela me mostrou outro exemplar, que custava U$ 120. Experimentei. Estava grande e não havia outro tamanho daquele modelo. Quando insisti em um modelo melhor, a gerente da loja passou a me atender e me mostrou um Montecristi, exemplar único na loja, tamanho 59. Sem saber o preço, sabia que aquele era o que eu procurava. Era meu tamanho. O preço: U$ 200. Resolvi levar, mostrando o cartão do hotel e ganhando 10% de desconto. Ao final, como nos Estados Unidos, o valor do imposto (7%) é acrescido. Antes de ir embora, pedi orientações de como dobrar o chapéu para colocá-lo na bagagem. A gerente me demonstrou a maneira correta de dobrá-lo e enrolá-lo, passando uma fita para ele não desenrolar. Ainda me disse para nunca deixar o chapéu enrolado por mais de 48 horas, sendo mais aconselhável levá-lo na bagagem de mão. Satisfeito com minhas duas aquisições voltei para o hotel, onde ainda passei no bar e tomei um drinque na cota de meus U$ 20 diários de consumo nos seus bares. De volta para o quarto, treinei enrolar o meu chapéu panamá, feito no Equador, obviamente. Fiz a mala, li um pouco, tomei um demorado banho para relaxar os músculos, deitei e dormi.

turismo

3 comentários:

  1. Ola Noel...pode ajudar?? Na Sportline tem raquete de tênis para venda??

    Obrigado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, na Sportline há material ligado ao tênis, incluindo raquetes.
      Um abraço,

      Noel

      Excluir
    2. Muito obrigado...abraço

      Excluir